imgs_site_785x247_fevjul_6_1391625013_0
  • Datas:
    • 13 Março 2014 @ 23:30
    • 14 Março 2014 @ 23:30
    • 15 Março 2014 @ 23:30
    • 18 Março 2014 @ 23:30
    • 19 Março 2014 @ 23:30
    • 20 Março 2014 @ 23:30
    • 21 Março 2014 @ 23:30
    • 22 Março 2014 @ 23:30
  • Local:Teatro de São Luís

Dramaturgia e Encenação Jorge Listopad
Interpretação Diogo Dória, José Artur Pestana e Joaquina Chicau
Co-produção Companhia de Teatro Salomé e São Luiz Teatro Municipal
M/12
€7

Ouve-se o elevador a subir e a campainha que soa na casa de uma mulher que vive sozinha com uma criança. Quando alguém nos bate à porta, abrimos ou não. A mulher abre a porta porque tem medo. Entram dois homens: o controlador, o chefe, eventualmente sedutor, e um operário, um falso bruto. Trazem uma missão importante: cumprir a directiva governamental que impõe a instalação do medo em todos os lares num curto prazo de tempo estipulado pela lei. Aqui começa o teatro, segundo o recente romance de Rui Zink, adaptado por Jorge Listopad, que também encena. Pequenas e grandes discussões, filosofia e drama, tudo perto de tudo e a instalação do medo está quase concluída. A tensão cresce e as três personagens movem-se entre o dramático, o trágico, o cómico, até o burlesco, e já ninguém sabe como tudo isto vai acabar. A única moral: não se deve abrir a porta a quem e ao que não foi convidado.

Partilhar :

Nenhum comentário.

Deixar um comentário