• Publicado a:

    14 Fevereiro, 2015

O Amor é um fogo que arde sem dever
Dívida que dói mas não se sente
É pôr um lá onde está um fmi
É caminhar varoufakis por entre a gente.
É saber perdoar ao perdedor
É um contentamento descontente
É deixar de ser tão predador
É servir a quem vence o vencedor.
o Amor é protestos, juras – e não juros
É não ceifar vidas nem liberdade
É amar, não porque se o diz
Mas porque é verdade. É querer
Mais às gentes que aos pingentes
E mais à Europa que à Austeridade.

Partilhar :
Share Button