• Publicado a:

    12 Abril, 2014

Quando a vida é dura, filha, estuda
e terás o consolo da literatura.
Quando a vida é cada vez menos vida
e cada vez mais futura
Lê, mancebo, e terás
o consolo da literatura.
Quando os dias escarnecem de ti
e alguém escrever estes versos
(só porque fica bem em verso
o verbo escarnecer)
lê e terás o consolo da literatura.
Quando o céu te cair em cima da cabeça
e o teu clube for cano abaixo
abre um livro, numa página obscura
e, sim, terás o consolo da literatura.
Mas quando estiveres bem disposto
ou bem disposta
e a vida te correr de feição, eclética
aí não busques consolo, lê antes poesia
hermética.

Partilhar :
Share Button